Mundo Nerd. Filmes, séries, livros, jogos, eventos, lugares, animes, HQ's e desenhos.

[Crítica] Logan

Oi gente! Essa semana era quase que obrigação minha trazer Logan para cá, né? O filme de despedida de Hugh Jackman é uma obra-prima dos filmes de super-heróis! Vamos lá:




Logan é um filme de ação (apesar de ter me feito chorar – muito – como se fosse um drama) e ficção científica, lançado dia 2 de março de 2017, dirigido por James Mangold e último dos filmes-solo do Wolverine estrelado por Hugh Jackman. O filme já é um marco histórico no cinema, não por bilheteria, mas por qualidade. Ele traz exatamente o Logan que os fãs esperavam – as consequências da vida que levou, por assim dizer –, uma despedida marcante e mais que merecida para Jackman e ainda nos apresenta a herdeira do manto: Laura Kinney ou X-23, a próxima Wolverine.

A história é baseada no arco de quadrinhos Velho Logan, que se passa em 2029, num mundo em que nenhum mutante nasce faz 25 anos, onde um cansado Logan trabalha como motorista de limusine, para cuidar do professor Charles Xavier, este já com 90 anos. Exausto física e mentalmente, o nosso ex X-men é procurado por uma mexicana chamada Gabriela, que pede (desesperadamente) a ajuda dele. Depois de se recusar, Logan é abordado por um mercenário chamado Donald Pierce, que está à caça de Gabriela e algo (alguém) que ela possui. Logo após, ela contrata Logan como motorista, forçando-o a ajudá-la. Depois de se ver subitamente responsável por uma criança (ainda que uma que corta cabeças com os pés), Logan decide levá-la ao seu destino – um refúgio para crianças mutantes. 




Logan definitivamente quebra o estereótipo carregado por todos os filmes de super-heróis: filme de criança? Não é por aqui. O filme é profundo e sentimentalista, ainda que de forma grosseira, típico de Wolverine. Apesar da classificação etária sacrificar uma bilheteria mais alta em nome da qualidade, ela também abre caminho para as cenas violentas, o psicológico conflitante de Logan, a ação crua e brutal e para um tom sério e amargo, tudo contribuindo para o caráter consequencial do filme, de despedida, encerramento de um ciclo e subsequente início de um novo. Além disso, a atuação de todo o elenco – em especial de Jackman – também são dignas de oscar, capturando todos os sentimentos das cenas e diálogos e os transmitindo com maestria ao público, que acaba se emocionando junto com os personagens.

Outro foco do filme a introdução da pequena Laura, a 23ª tentativa feita pela Alkali Transigen (a empresa que herdou o Projeto Arma X após os eventos de X-Men 2) de clonar o Wolverine. Assim como ele, ela é instintiva, agressiva e arisca, uma sucessora digna do título de “um dos maiores assassinos da Marvel”. A atriz Dafne Keen realmente entra na pele da X-23, e atua de forma tão impressionante que eu realmente estou ansiosa para vê-la como Wolverine em filmes próximos.




Além de toda a profundidade de Logan, não poderiam faltar os famosos easter-eggs da Marvel. Acho que o mais marcante é a aparição da espada utilizada por Wolverine em Wolverine: Imortal, pendurada no quarto dele em Logan. Outro é quando Zander Rice, o responsável pelas experiências com Laura e outras crianças, é citado por Donald Pierce como o homem que dizimou os mutantes. Esse easter-egg é referência a X-Men: O Confronto Final, quando uma vacina capaz de curar as mutações é criada.

 


*SPOILER PESADO!*

Uma teoria ganhou muita repercussão após o lançamento de Logan: a de que sua morte teria sido prevista por Yukio em Wolverine: Imortal, na cena em que ela diz “Logan, eu vi sua morte... Não toda ela, mais como ver pelo buraco de uma fechadura. Mas eu sempre estou certa. Tudo o que posso ver é uma única parte da vida de uma pessoa: A morte. E eu vi a sua... Eu via você de costas, havia sangue por todo lado. Você segurava seu próprio coração na mão.” O coração no caso seria Laura, a filha que ele nunca soube que teve mas aprendeu a amar em poucos dias, como ele mesmo afirma pouco tempo antes de morrer.




Logan é, como eu disse antes, uma obra-prima do cinema. Acho que elevou o mundo das adaptações de quadrinhos a um outro nível e segue à risca a própria frase de Wolverine: “Não seja aquilo que te fizeram”.



Ganhou merecidas 5 estrelas! <3





0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.